28/07/2011

me perdoa?

Me perdoa?
Por ter te virado as costas, me perdoa por não reconhecer o amor que sentes por mim
me perdoa por errar mesmo quando você confiou em mim? por persistir naquilo que eu sabia que não era certo me perdoa pai porque eu não soube dar valor no seu sacrifício por mim, me perdoa por te envergonhar nos momentos que você esperava mais de mim e eu fraquejei, pelas vezes que você me ensinou o caminho certo e decidi não segui-lo, me perdoa por ter sido uma filha rebelde, eu não merecia todas as vezes que você me amou mesmo quando eu errava, eu não merecia toda a dor que você sentiu por mim na cruz, eu não mereci as vezes que você me deu colo quando a dor invadia meu peito, eu não mereci a confiança que você depositou em mim. eu não mereci seu amor, você me amou, todos os dias, e nunca me deixou sozinha, me deu colo e um ombro pra chorar, você ficou ali do meu lado mesmo quando eu me neguei a ti, pai eu não mereço tudo o que o senhor tem feito por mim. o que eu fiz pra ti, o que eu fiz por ti? Te amo pai me perdoa por minhas fraquezas, por minhas falhas, pelas vezes que me distanciei de ti....  

.





Sabe todos os dias me faço as mesmas perguntas,o incrivel é que a resposta me parece obvia e nem sempre queremos enxerga-las, ou talvez sabemos a resposta mais não queremos assumir, não aceitamos aquilo o que é de fato realidade, e no torturamos em uma ilusão que vai nos corroendo aos poucos, são feridas que demoram a cicatrizar, que doem. Mais muitas vezes esquecemos que quem conduz nossa vida somos nos mesmo, o que vivemos hoje é fruto daquilo que fizemos ontem, a dor que sofremos hoje será aprendizado amanha, caímos todos os dias, e nos perguntamos onde estão as pessoas que amamos que não nos estende a mão, nos perguntamos porque sofremos? porque amamos,se não somos correspondidos? porque idealizamos algo surreal, porque a vida nos dá tanta rasteiras? perguntamos onde foi que erramos. Nos martirizamos encima daquilo que tanto nos corroí, e esquecemos que fomos nos mesmo quem abrimos aquelas feridas, esquecemos a vida é movida de sonhos e muitas vezes deixamos de sonhar, ou sonhamos sem os pés no chão. tentamos voar alem daquilo que nossas assas podem nos levar, caímos e nos machucamos, e criamos mais perguntas das quais nos entristecem mais e mais, que nos levam mais longe do nosso objetivo, daquilo tudo que tanto buscávamos, daquilo que idealizamos a vida toda, e um simples tombo ou um simples intruso nos roubam tudo aquilo que levamos uma vida para construir.